A Cachaça Princesa Isabel Aquarela Jequitibá 750ml é envelhecida por três anos em barris de jequitibá-rosa, madeira tipicamente brasileira. Leve, possui graduação alcoólica de 40%

Na foz do rio Doce, cercada pela Serra do Mar, em Linhares, no Espírito Santo, está a fazenda Tupã, onde é destilada a Princesa Isabel. Os cachaceiros, Adão Cellia e Maria Isabel de Moraes, são os responsáveis pela produção de 20 mil litros por safra dessa cachaça capixaba.

 

Não só Adão e Isabel, mas também os três filhos se dedicam a Princesa Isabel, Maria Clara e Gabriela se dividem entre os estudos, a execução da carreira e também ajudam nos afazeres do alambique. Gabriela, é uma das responsáveis pelo marketing e comunicação visual da marca, Pedro também ajuda na curadoria das cachaças, viaja para estudar sobre outros destilados e faz a ponte entre a Princesa Isabel e novos consumidores.

 

A colheita manual é feita como mandam os melhores guias de produção: sem queima e com a extração do caldo em no máximo doze horas. Na fermentação utilizam leveduras comerciais selecionadas. Após a destilação, a cachaça passa por dornas de Jequitiba Rosa.

 

O nome Princesa Isabel é uma homenagem à matriarca da família Cellia. Os rótulos das bebidas trazem, em aquarela, a figura de pássaros da fauna da Serra do Mar, em Linhares, no Espírito Santo.

A Cachaça Princesa Isabel é produzida desde 2016, em Linhares, no Espírito Santo, e surgiu de uma paixão antiga de Adão Cellia, idealizador da marca. Em 2005, o produtor adquiriu a Fazenda Tupã e construiu por lá o próprio alambique. Antes de lançar a bebida, passou quase 10 anos estudando os conceitos cachaceiros para levar ao mercado um produto de qualidade.

 

2018 - 1ª Colocada no III Ranking da Cúpula da Cachaça

 

Cachaça Princesa Isabel Aquarela 750ml

R$129,00
Esgotado
Cachaça Princesa Isabel Aquarela 750ml R$129,00

A Cachaça Princesa Isabel Aquarela Jequitibá 750ml é envelhecida por três anos em barris de jequitibá-rosa, madeira tipicamente brasileira. Leve, possui graduação alcoólica de 40%

Na foz do rio Doce, cercada pela Serra do Mar, em Linhares, no Espírito Santo, está a fazenda Tupã, onde é destilada a Princesa Isabel. Os cachaceiros, Adão Cellia e Maria Isabel de Moraes, são os responsáveis pela produção de 20 mil litros por safra dessa cachaça capixaba.

 

Não só Adão e Isabel, mas também os três filhos se dedicam a Princesa Isabel, Maria Clara e Gabriela se dividem entre os estudos, a execução da carreira e também ajudam nos afazeres do alambique. Gabriela, é uma das responsáveis pelo marketing e comunicação visual da marca, Pedro também ajuda na curadoria das cachaças, viaja para estudar sobre outros destilados e faz a ponte entre a Princesa Isabel e novos consumidores.

 

A colheita manual é feita como mandam os melhores guias de produção: sem queima e com a extração do caldo em no máximo doze horas. Na fermentação utilizam leveduras comerciais selecionadas. Após a destilação, a cachaça passa por dornas de Jequitiba Rosa.

 

O nome Princesa Isabel é uma homenagem à matriarca da família Cellia. Os rótulos das bebidas trazem, em aquarela, a figura de pássaros da fauna da Serra do Mar, em Linhares, no Espírito Santo.

A Cachaça Princesa Isabel é produzida desde 2016, em Linhares, no Espírito Santo, e surgiu de uma paixão antiga de Adão Cellia, idealizador da marca. Em 2005, o produtor adquiriu a Fazenda Tupã e construiu por lá o próprio alambique. Antes de lançar a bebida, passou quase 10 anos estudando os conceitos cachaceiros para levar ao mercado um produto de qualidade.

 

2018 - 1ª Colocada no III Ranking da Cúpula da Cachaça